Copyright © 2017 Maria Vilhena

O Blog da
Maria Vilhena

DIY

16/07/2018

O nosso bem mais precioso é o tempo.

 

Sempre foi, é certo, mas hoje em dia, homens e mulheres, graúdos e até pequenos, contam o seu tempo de forma bastante cuidada.

 

As atividades aumentam, as carreiras são cada vez mais exigentes e as horas livres na nossa agenda ficam mais escassas, dia após dia.

A nossa geração pede por praticidade. Mas também exigimos qualidade. Queremos comida rápida, mas saborosa, escolhemos roupa bonita, mas confortável e queremos perder pouco tempo nas nossas tarefas diárias, mas ainda assim, precisamos de ter sucesso em tudo o que fazemos.

Ora, se somos assim em tudo, até mesmo nas relações humanas, se sentimos que o tempo de qualidade é um bem que tem tanto de precioso como de difícil de alcance, está na hora de começarmos a transformar a nossa vida de forma a ganharmos tempo nela para sermos capazes de nos dedicar ao que para nós é verdadeiramente importante. Se começar a mudar algumas coisas em nossa casa e na sua decoração, vai começar a perceber que afinal não precisa carregar o peso da ampulheta nos braços todos os dias e que ainda lhe sobra tempo para relaxar no final do dia.

 

Mas afinal, o que é ter uma casa funcional?

 

Design de interiores funcional é ter uma casa prática que funcione na perfeição para o seu dia-a-dia e que ainda lhe traz conforto.

Numa casa prática todos os objetos devem cumprir uma função e todos eles são utilizados. A dica número 1 é não ter nada que não use em sua casa.

 

Pegue num papel e numa caneta e comece já a anotar. Avalie bem a sua rotina diária: o que faz logo pela manhã, que áreas e objectos utiliza? O que é que funciona e o que pode estar a faltar?

Caso vá almoçar a casa, pense e anote também todas as coisas que faz assim que chega. Para o final do dia, faça exatamente a mesma coisa. Qual é a primeira coisa que faz quando entra em casa? Tem um local específico para colocar as chaves, a mala, os sapatos? Ou vai espalhando tudo por onde calha?

 

À medida que for escrevendo, vai aperceber-se que utiliza as mesmas coisas todos os dias, praticamente da mesma forma. Falta-lhe alguma coisa? O que é que pode estar a mais? Livre-se de tudo o que não precisa e coloque bem à vista tudo o que usa regularmente. Por exemplo, precisa mesmo de tantos talheres e utensílios na gaveta da cozinha quando procura todos os dias pela mesma faca de cozinha e pela mesma colher? E no quarto, precisa assim tanto daquelas calças que tem na gaveta e não usa há mais de um ano?

 

O passo número 2 passa por fazer uma nova lista. Faça uma lista de atividades que costuma ter em casa com a sua família. Por exemplo: tomam o pequeno almoço juntos todas as manhãs? Onde? Utilizam a sala para receber amigos? Com que regularidade?

 

Agora anote todos os móveis e acessórios que utiliza para realizar essas atividades. O que está a mais? E onde poderiam estar estas coisas de forma a fazê-lo poupar tempo?

 

Imagine que costuma preparar sempre o pequeno-almoço na banca da cozinha, sempre naquele sítio, todos os dias. Arrume a sua cozinha de forma a ter as coisas que utiliza mais perto desse espaço e tenha sempre o cuidado de as ir arrumando à medida que as usa, colocando-as sempre no mesmo sítio. A ideia é perder o menor tempo possível nas suas tarefas diárias e para isso o ideal é que, além de poucas coisas que atrapalhem as tarefas rotineiras, as mantenha sempre no mesmo local.

 

Outro conselho importante é que opte por móveis simples e leves, fáceis de movimentar e de limpar. Opte também por móveis multifuncionais. Armários de sala com mesas que se recolhem e que podem servir de secretária é um bom exemplo. Existem muitas opções no mercado e não só são funcionais como são excelentes opções para espaços pequenos.

Não compre móveis a pensar no estilo de vida que gostaria de ter um dia, mas sim na sua vida atual. Se não faz refeições em casa, para que precisa de uma grande mesa de jantar?

Anteriormente, noutro artigo nosso, demos-lhe alguns truques para tornar o seu local de trabalho mais funcional, tornando-o/a mais produtivo/a.
Agora, desafiamo-lo a caminhar pela sua casa e a olhar à sua volta e reparar nas coisas que mais usa e nas coisas que definitivamente não têm qualquer utilidade (e funcionalidade). O que não usar, doe. O que usa com regularidade, faça-as ter fácil e rápido alcance. Parecem pequenas coisas, mas são estas pequenas mudanças que o vão fazer começar a ganhar tempo e qualidade de vida. Experimente.

 

Se conhece alguns truques funcionais que gostava de partilhar connosco, deixe-nos o seu comentário.

One Reply to “”

O seu endereço de email não será publicado.